12.5.09

À AJ

«A roda do mundo é assim, imparável dia após dia. Dramas e tragédias, alegrias e encantos preenchem todos os espaços vazios a que chamamos presente. Aqueles espaços que ainda ontem permaneciam no horizonte desconhecido das nossas inquietações e dos nossos anseios, ou que acalentavam um sonho qualquer, uma vontade, um desejo secreto de felicidade. Espaços que amanhã estarão gastos irremediavelmente num lapso de tempo vertiginoso em que a terra girou apenas uma vez sobre si própria, arrastando-nos nessa fuga para a frente que preside aos destinos do universo desde que o mundo é mundo. Dia a dia fazemos esses pequenos balanços do deve e haver da vida, numa contabilidade incessante: aqui e ali um momento em que o sol nos aquece a alma, de vez em quando mais uma cicatriz que deixa marcas no coração. Temos esperança, contudo. Temos sempre esperança. Sobretudo quando chega mais alguém a esta aventura do que nos é próximo, um pássaro em vôo rasante numa manhã clara deste Maio solar e quente. A mais bela linha convexa da natureza rasgou-se para deixar passar uma menina chamada Ana João, filha da nossa Inês. Bem-vinda!»
João Carlos Lopes
in Jornal Torrejano, 08.05.2009

2 comentários:

marteodora disse...

Como já tive oportunidade de dizer ao autor: um texto lindo, escrito com uma sensibilidade tocante.
Bonita esta homenagem,Marga.

Roxa disse...

Hei, este post era meu... eu é que ainda não tinha tido oportunidade de o postar!!! Bem lindo o jãzinho, até chorei um bocadinho.